DESTAQUE DA SEMANA

Google AdSense

PRESENTE DIÁRIO

Mensagem de Hoje

Pão Diário

POLÍTICA

ESPORTE

Latest Posts

Ele é um pai amoroso e não quer que seus filhos sofram e por isso planejou a salvação através do seu próprio Filho Unigênito.

Essa é uma pergunta realmente polêmica. Como Jesus nos ama demais para nos deixar em dúvidas quanto à salvação, é preciso prestar atenção a alguns aspectos desta doutrina cristã.

Continue lendo este estudo para entender melhor sobre:

1. Quem pode receber a salvação;
2. Quanto tempo para decidir por Cristo;
3. Como ter certeza da salvação;

Todas as pessoas serão salvas?

A salvação é um dom de Deus (Romanos 6.23) e esse dom está disponível para todos, sem exceção. Deus nos ama e quer nos salvar. Essa é a resposta que você precisa. Ele é um pai amoroso e não quer que seus filhos sofram e por isso planejou a salvação através do seu próprio Filho Unigênito.

“Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3.16)

A salvação está disponível a todos, mas nem todos serão salvos. Sabemos que o desejo de Deus é que todos fossem salvos (1 Timóteo 2.4), mas para isso é preciso crer em Jesus. Porém, muitos rejeitam a Cristo, consequentemente estão desprezando a salvação.

O que eu preciso fazer para ser salvo?

“Porque que todo aquele que invocar o nome do Senhor, será salvo.” (Romanos 10.13)

É impossível para o homem se justificar diante de Deus. Portanto, não podemos salvar a nós mesmos, mas dependemos da graça (Efésios 2.8). Assim, a única forma de ser salvo é crer que Jesus Cristo é o Filho de Deus e foi enviado para trazer salvação.

Se uma pessoa morrer sem Jesus, ela terá ainda alguma chance de salvação?

Não. A única maneira de desfrutar da salvação é crendo em Jesus como único e suficiente salvador. Porém, essa decisão deve ser tomada em vida, pois após a morte enfrentaremos o juízo.

“E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo, Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.” (Hebreus 9.27,28)

Mas e o purgatório?

Não existe purgatório. A Bíblia deixa muito claro que não há segunda chance para aqueles que morreram sem Jesus. O próprio Cristo demonstra isso na parábola do Rico e Lázaro (Lucas 16.19-31) Só existem dois destinos após a morte, Jesus deixa isso muito claro, céu ou inferno.

Quanto tempo tenho para me decidir por Cristo?

Posso deixar para me decidir por Cristo quando for mais velho? Não. Além de ser um ato extremamente perigoso, pois não sabemos quando seremos recolhidos desta vida, ainda estamos agindo de maneira irresponsável com a oportunidade de Deus. Nós não temos nenhum controle sobre nossa vida, podemos morrer a qualquer momento, imagine se isso acontece e a pessoa não se decidiu por Cristo?

“Louco, esta noite te pedirão a tua alma. E o que tens preparado para quem será?” (Lucas 12.20)

Uma pessoa má pode ser salva no seu leito de morte depois de prejudicar tantas pessoas?

Sim. Algo maravilhoso em relação à salvação é que ela está disponível para todas as pessoas. Se a oportunidade de salvação for concedida a pessoas que tenham feito muitas maldades durante a vida e ela aceitar de maneira sincera, ela receberá o perdão e será salva.

Na parábola sobre os trabalhadores de uma vinha Jesus contou sobre alguns que foram chamados no final da jornada de trabalho, mas que receberam o mesmo salário. Jesus disse que alguns foram contratados pela manhã. Outros, algumas horas após iniciar a jornada de trabalho. Alguns ainda, por volta do meio dia, no final da tarde e, depois, quando a noite estava chegando. O dono da vinha pagou o mesmo salário a todos.

Os que começaram a jornada de trabalho ainda pela madrugada ficaram insatisfeitos, pois acreditavam que o patrão deveria pagar menos a quem começou a trabalhar mais tarde. Porém, a resposta foi a seguinte:

“Amigo, não estou sendo injusto com você. Você não concordou em trabalhar por um denário? Receba o que é seu e vá. Eu quero dar ao que foi contratado por último o mesmo que lhe dei. Não tenho o direito de fazer o que quero com o meu dinheiro? Ou você está com inveja porque sou generoso?” (Mateus 20.13-15)

O exemplo prático da generosidade de Deus está demonstrada na cruz, quando o ladrão pediu por misericórdia. Lembre-se que eram dois condenados ao lado de Cristo, um em cada lado, mas apenas um clamou por salvação.

“E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino. E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.” (Lucas 23:42,43)



Autor: Eri Vieira Postado Por : Redação Blog ERI VIEIRA
Agora, portanto, já não há nenhuma condenação para os que estão em Cristo Jesus. v.1
Quando eu era menino no interior, algo nas galinhas me fascinava. Sempre que pegava uma, a segurava por uns instantes e depois, gentilmente, a soltava. Achando que eu ainda a estava segurando, a galinha permanecia quieta; mesmo estando livre para fugir, sentia-se acuada.
Quando colocamos nossa fé em Jesus, graciosamente Ele nos livra do pecado e das garras de Satanás. Entretanto, como pode levar um tempo para mudarmos nossos hábitos e comportamentos pecaminosos, Satanás pode nos fazer sentir acuados. Mas o Espírito de Deus nos libertou; Ele não nos escraviza. Paulo disse aos romanos: “Agora, portanto, já não há nenhuma condenação para os que estão em Cristo Jesus. Pois em Cristo Jesus a lei do Espírito que dá vida os libertou da lei do pecado, que leva à morte” (vv.1,2).
Através da leitura da Bíblia, da oração e do poder do Espírito Santo, Deus age em nós para nos purificar e nos ajudar a viver para Ele. A Bíblia nos encoraja a sermos confiantes em nossa caminhada com Jesus, sem nos sentir como se não tivéssemos sido libertados.
Jesus disse: “…se o Filho os libertar, vocês serão livres de fato” (João 8:36). Que a liberdade que temos em Cristo nos estimule a amá-lo e servi-lo.
Por:  Lawrence Darmani

Refletir & Orar

Senhor, perdoa-me por, às vezes, revisitar meu passado e esquecer-me de que lavaste os meus pecados. Obrigado por assumires o meu fardo e me libertares para desfrutar a vida contigo.
Minhas correntes caíram, meu coração foi liberto, levantei-me, dispus-me e o segui.

Autor: Eri Vieira Postado Por : Redação Blog ERI VIEIRA








JESUS.
Denis Versiani
“Continue o injusto a praticar injustiça; continue o imundo na imundícia; continue o justo a praticar justiça; e continue o santo a santificar-se” (Apocalipse 22:11).
Eu conheci a história de uma agência de banco que funcionava dentro de um campus universitário. Se eu não me engano, essa agência havia sido roubada quatro vezes. De trágica, a situação estava chegando a um ponto de se tornar cômica. Eu ouvi dizer que, na última vez, os gerentes foram avisados que eles seriam assaltados naquela semana. O óbvio a se fazer era contactar a polícia, ou solicitar reforço da equipe de segurança contratada para defender a agência. Mas nada que fosse eficaz foi feito; e aquela agência foi assaltada mais uma vez. Em vez de revisar seus procedimentos de segurança, o banco resolveu fechar aquela agência para evitar mais prejuízos.
“Entendam isso: se o dono da casa soubesse a que hora da noite o ladrão viria, ele ficaria de guarda e não deixaria que a sua casa fosse arrombada. Assim, vocês também precisam estar preparados, porque o Filho do homem virá numa hora em que vocês menos esperam” (Mateus 24:43, 44). Antes de voltar ao Céu para nos preparar um lugar, Jesus deixou claro que, ainda que a data não tenha sido revelada, sinais na sociedade e na natureza anunciariam que Jesus está voltando (veja Mateus 24, 25). Para que os seus filhos estivessem preparados, Jesus garantiu que não estaríamos sozinhos.
“Quando o Consolador vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo. Do pecado porque os homens não creem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e vocês não me verão mais; e do juízo, porque o príncipe desse mundo já está condenado” (João 16:8-11). “Mas, quando o Espírito da verdade vier, ele os guiará a toda a verdade. Não falará de si esmo; falará apenas o que ouvir, e anunciará a vocês o que está por vir” (João 16:13).
O ministério do Espírito Santo, simbolizado pelo candelabro de sete lâmpadas no lugar santo está intimamente relacionado ao ministério de Jesus Cristo como Sumo Sacerdote do Santuário Celestial. Desde sua entronização no céu, Jesus desempenha a função sacerdotal de intercessor entre o homem pecador e o Santo Deus. Por meio dos méritos do seu sangue, derramado em um único e suficiente sacrifício, Jesus concede perdão e propicia justiça a todo coração arrependido (Hebreus 9:11, 12; 1 João 1:9; 2:1, 2). Ao ser entronizado, Jesus enviou para nós o Espírito Santo, que atua na mente e no coração do pecador, levando-o a compreender as escrituras, a desenvolver fé na graça salvadora e a participar de um processo diário de conversão. Por meio do Espírito, o ser humano tem acesso direto ao trono da graça, adquirido por meio dos méritos de Cristo. Ou seja, o Espírito Santo atua ativamente na obra da santificação, em que o caráter do homem gradualmente se molda à imagem do caráter de Deus.
Ao convencer o mundo do pecado, o Espírito faz o pecador ter consciência de que sua natureza é naturalmente pecaminosa e incurável por meio de esforços humanos (Isaías 64:6; Jeremias 17:9, 10; Mateus 15:19). É permitindo a atuação do Espírito Santo que o homem se convence da justiça; ou seja, vendo que a sua natureza é essencialmente má, o homem é conduzido ao arrependimento e confissão dos pecados, recebendo a justiça imputada de Cristo por meio da oração da fé (Marcos 9:24). Ao convencer o ser humano do juízo, o Espírito Santo coloca no coração do homem o senso do que é certo e errado, e a consciência de que suas ações, boas e más, até as que estão escondidas, não passarão sem ser notadas (Eclesiastes 12:13, 14).
Expiação significa purificação, conciliação. Quando o dia antitípico da expiação anunciado em Daniel 8:14 começou no Santuário Celestial, Jesus, nosso Sumo Sacerdote, iniciou uma nova fase em seu ministério, a fase judicial. Além de nosso advogado e intercessor perante Deus, Jesus se tornou juiz diante de Deus, investigando todas as ações e motivações de cada coração desde Adão. Essa é a fase mais solene da história da Terra. Jesus, que assumiu na cruz a responsabilidade pelos pecados dos homens, começou a dar cabo do pecado, separando o joio do trigo, o justo do injusto. O juízo investigativo é o processo jurídico em que Jesus atribui ao culpado a condenação pelos seus pecados. O que se arrependeu e confessou confiante nos méritos da cruz, Jesus declara inocente, e transfere a culpa dos seus pecados a Satanás e seus anjos, os causadores da terrível condição pecaminosa da Terra. Esse processo possibilita a purificação do Santuário Celestial e do Universo da realidade do pecado (Hebreus 9:23, 24). Para saber mais sobre o dia da expiação, leia o artigo: 
Outra função de Jesus como Sumo Sacerdote na expiação é a de vindicar os santos, ou seja, requisitar como sua propriedade exclusiva aqueles que, ao longo da história guardaram “os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Apocalipse 14:12). Paulo diz que “os santos hão de julgar o mundo” (1 Coríntios 6:12). Estes são os que ouviram a voz do Espírito e não endureceram o seu coração. Os “santos do Altíssimo” sempre foram perseguidos pelos agentes de Satanás (Daniel 7:21, 25), e essa perseguição se intensificará ao se aproximar o tempo do fim. Mas eles permaneceram e permanecerão fiéis, não importando as angústias que terão que passar.
Enquanto o juízo está sendo realizado no céu, o Espírito Santo guia a sua igreja que prega as três mensagens angélicas de Apocalipse 14:6-12.
Ao finalizar o seu julgamento no céu, a pregação da mensagem do terceiro anjo também vai terminar. Até lá, o poder do Espírito vai continuar sobre o seu povo, como no pentecostes, e sinais na Terra e no céu continuarão a ser vistos com mais intensidade por todos os olhos (Atos 2:1-4; Joel 2:28-31; Mateus 24:12, 14, 29). O Espírito ainda continua refreando a força do mal perpetrado por Satanás sobre as nações (Apocalipse 7:1-3) até que todos os santos sejam selados no juízo, separados por Cristo por crerem no Filho Unigênito e no amor de Deus (João 3:16).
Com o fim do julgamento, o período de graça vai se encerrar e o mal não mais será refreado no coração do homem. A porta da graça, que dá o acesso irrestrito ao trono da graça vai se fechar (Hebreus 4:16). “Depois disso olhei e vi que se abriu nos céus o santuário, o tabernáculo da aliança. Saíram do santuário os sete anjos com as sete pragas… E um dos quatro seres viventes deu aos sete anjos sete taças de ouro cheias da ira de Deus, que vive para todo o sempre. O santuário ficou cheio da fumaça da glória de Deus e do seu poder, e ninguém podia entrar no santuário enquanto não se completassem as sete pragas dos sete anjos” (Apocalipse 15:5-8). Ou seja, o acesso ao santuário vai chegar ao seu final.
É nessa hora que o Espírito vai se retirar do coração de todo homem que recusou a redenção provida no Calvário, e se posicionou, por consciência ou por comodismo, ao lado da besta, e recebeu a sua marca. Assim foi logo antes do dilúvio, quando Deus disse a Noé: “Por causa da perversidade do homem, meu Espírito não contenderá com ele para sempre” (Gênesis 6:3). Após o fechamento da porta da graça, o Espírito não contenderá mais com o homem, para que ele se arrependa e busque o Senhor, nem mais pleiteará a seu favor. O mal atuará livremente no coração dessas pessoas, impulsionando-as a fazer atrocidades. Nessa hora, encerra-se o tempo de comprovação que o mal não presta. Durante o derramamento das sete pragas, o homem se tornará tão insensível que, mesmo reconhecendo sua culpa, blasfemará contra Deus (Apocalipse 16:8-11).
Porém, com os selados não será assim. Paulo diz que os santos estão selados no Espírito “para o dia da redenção” (Efésios 4:30). Por meio do Espírito Santo, Jesus estará conosco “todos os dias até a consumação dos séculos” (Mateus 29:20). O fato é que, com o fim do juízo investigativo e o fechamento da porta da graça, Satanás não mais terá permissão para tentar os santos a pecar. Logo, não precisaremos mais da intercessão do Espírito, porque já estamos selados, muito embora ainda continuemos a carregar a natureza pecaminosa.
Já que não mais terá acesso aos selados, Satanás vai direcionar todos os poderes religiosos, políticos e militares contra eles. Os próprios anjos caídos investirão contra os santos para destruí-los. Esse será um período de grande tribulação e angústia para os filhos de Deus, durante o derramamento das sete pragas. Sua angústia não será pela perseguição em si, mas para saber se realmente confessaram a Deus todo mal com que lutavam. Essa angústia é comparada à angústia de Jacó no vale de Jaboque. Mas, mesmo em meio a angústia e dura perseguição, os selados não sofrerão dano de nenhuma praga, pois contarão com a presença do Espírito atuando em seu favor, protegendo-os de toda tentação. Por isso, o injusto continuará a cometer a injustiça, e o justo continuará a praticar a justiça; o imundo continuará na sua imundícia, e o santo continuará a santificar-se (Apocalipse 22:11).
No início desse artigo, nós contamos a história daquela agência que fechou por não aprender a lição de se preparar. Eles foram avisados que seriam roubados, mas não fizeram nada eficaz. Isso pode parecer absurdo, mas não se engane: muitos de nós estamos vivendo na mesma situação. Mas, o risco agora envolve consequências eternas para a vida ou para a morte. O Espírito Santo nos ajuda em nossa fraqueza, nos mostra a necessidade de orar, intercede pelos santos com gemidos inexprimíveis (Romanos 8:26, 27). O trabalho que o Espírito desenvolve é o de colocar em nosso coração a necessidade de vigilância contínua num mundo satânico que quer nos engolir.
Ao guiar-nos a toda a verdade, o Espírito nos ajuda a nos munirmos da armadura de Deus para apagar as flechas incandescentes do Maligno. É com a espada do Espírito, a palavra de Deus, que podemos contra-atacar o inferno, e nos tornarmos mais que vencedores naquele que nos amou. “Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos” (Efésios 6:16-18).
Então, amigo leitor, preste atenção: o tempo não para e o fim da história está chegando rápido! A porta da graça ainda está aberta. Jesus, nosso Sumo Sacerdote, ainda intercede por nós no Santuário Celestial, enquanto o Espírito intercede por nós aqui na Terra. Temos o Deus do Universo ao nosso favor, como nosso advogado e juiz. Mas, um dia o julgamento vai acabar; a intercessão vai acabar. Se você não está levando a vida ao lado de Deus muito a sério, vai chegar o momento em que o Espírito vai parar de atuar em você, e pode ser que você nem note quando isso acontecer.
De que lado nós estaremos, do lado dos santos do Altíssimo, aqueles que guardaram os mandamentos de Deus e a fé em Jesus, e que permaneceram vigilantes na oração e na prática do amor? Ou estaremos do lado dos seguidores de Satanás, aqueles que praticaram o mal, ou, por comodidade, não se interessaram em conhecer a Deus? Qual sinal vamos receber: o selo de Deus no Espírito, ou a marca da besta (Apocalipse 13:8, 16, 17)? Amigo, se hoje você ouvir a sua voz, não endureça o seu coração. Jesus está voltando para nos dar vida eterna. Então, prepare-se, porque a nossa redenção está mais próxima do que quando cremos (Romanos 13:11). Vamos nos preparar para o dia da redenção!
Deus abençoe você!
_______________
Denis Versiani é Mestre em Teologia
Autor: Eri Vieira Postado Por : Redação Blog ERI VIEIRA
Palavra de Hoje sexta 13 de Dezembro de 2019 -  Não temas pois Deus é contigo e tem cuidado de vc tua família.

Não desista, saiba que em tudo Deus tem um propósito para nós dar o fim que nós esperamos.

Por isso esforcem, perseverem, e tenham bom ânimo, pois Deus vai exaltar em público todo aquele que crê, que obedece,  que confia, e que espera Nele.

Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações,

pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança.

E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma.

Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida.

Peça-a, porém, com fé, sem duvidar, pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento.

Não pense tal homem que receberá coisa alguma do Senhor;

é alguém que tem mente dividida e é instável em tudo o que faz. Tiago 1:2-8

Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: alegrem-se!
Seja a amabilidade de vocês conhecida por todos. Perto está o Senhor.

Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus.

E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus. Filipenses 4:4-7

Portanto, humilhem-se debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele os exalte no tempo devido.

Lancem sobre ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês.

Sejam sóbrios e vigiem. O diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar.

Resistam-lhe, permanecendo firmes na fé, sabendo que os irmãos que vocês têm em todo o mundo estão passando pelos mesmos sofrimentos.

O Deus de toda a graça, que os chamou para a sua glória eterna em Cristo Jesus, depois de terem sofrido durante pouco de tempo, os restaurará, os confirmará, lhes dará forças e os porá sobre firmes alicerces.

A ele seja o poder para todo o sempre. Amém.1 Pedro 5:6-11

Bom dia com a paz do Senhor Jesus Cristo Deus abençoa proteja ilumina e próspera a cada um de nós hoje e Sempre em nome do Senhor Jesus Cristo.
Autor: Eri Vieira Postado Por : Redação Blog ERI VIEIRA
Leia: Gênesis 1:1-10
 | A Bíblia em um ano: Jeremias 50; Hebreus 8

Aí Deus disse: — Que a água que está debaixo do céu se ajunte […]. E Deus viu que o que havia feito era bom. vv.9,10

O astronauta Bill Anders, tripulante da Apollo 8, em 1968, descreveu a visão da paisagem lunar, enquanto orbitava ao redor da Lua. Descreveu-a como “um horizonte de mau agouro, pouco atraente para o futuro.” Em seguida, a tripulação se revezou na leitura de Gênesis 1:1-10 para o mundo que os assistia. Após o comandante Frank Borman terminar de ler o versículo 10: “E Deus viu que o que havia feito era bom”, ele despediu-se com as palavras: “Deus abençoe todos vocês, todos vocês na boa Terra.
O capítulo de abertura da Bíblia insiste em dois fatos:
A criação é obra de Deus. A frase “E disse Deus…” ressoa por todo o capítulo. O magnífico mundo em que vivemos é o resultado do Seu trabalho criativo. Tudo que se segue na Bíblia reforça essa mensagem de Gênesis 1. Por trás de toda a história, há a presença de Deus.
A criação é boa. Outra frase ressoa suavemente, como um sino, ao longo de todo este capítulo. “E viu Deus que isso era bom.” Muita coisa mudou desde o primeiro momento da criação. Gênesis 1 descreve o mundo como Deus o queria, antes de qualquer deterioração. Qualquer beleza que vemos na natureza hoje, é uma leve lembrança do estado primitivo que Deus criou.
Os astronautas da Apollo 8 viram a Terra como um círculo colorido brilhante pendurado sozinho no espaço. Parecia impressionantemente bonito e ao mesmo tempo frágil. Parecia o cenário de Gênesis 1.
No princípio, criou Deus os céus e a terra. 
Gênesis 1:1
Autor: Eri Vieira Postado Por : Redação Blog ERI VIEIRA

Estudo Bíblico

VÍDEOS

Animais Selvagens